Publicidade

Arquivo da Categoria Plus Size

terça-feira, 23 de outubro de 2012 Plus Size | 13:09

Modelo plus size?

Compartilhe: Twitter

Com 1,80 de altura, a modelo alemã Karolin Wolter pesava 52kg, 10kg a menos do que seu peso natural.
Depois de três anos em Nova York sendo constantemente pressionada a perder mais peso, a modelo resolveu então assumir seus quilinhos a mais e assumiu o titulo de modelo plus size, onde finalmente encontrou a paz com seu corpo, mesmo se o mundo da moda não.
“Quando eu percebi que já não podia mais olhar no espelho, percebi que tinha algo de errado”, diz a modelo a revista I Love You, que ainda acrescentou: “Eu trabalhava bem, mas, mesmo assim, meus agentes me diziam: ‘Você sabe Karolin, na próxima temporada acontecem os desfiles de verão, e você tem que estar mais magra'”.
“Na época, eu honestamente pensava que era totalmente bom pesar menos de 55 kg. Agora… Eu estou balançando minha cabeça, não posso acreditar. Eu não estou surpresa de que completamente ferrei com a minha mente.”
“Todos os dias o fardo se tornava mais pesado. O trabalho se tornou cansativo, e eu estava com medo de que o cliente se decepcionasse.”

“Mas, a luta real foi mesmo quando eu não estava no trabalho. Em casa, depois de um grande trabalho, eu ficava absolutamente inútil por conta da inacreditável pressão mental.”
Depois de três anos trabalhando como modelo e de ter desfilado para marcas como Marc Jacobs, Lanvin e Yves Saint Laurent, Karolin decidiu dar um tempo em 2011 para repensar a carreira de modelo, assim como seus hábitos alimentares. Um ano depois, de volta ao seu peso natural, ela disse aos agentes que estava pronta para voltar a trabalhar, mas de acordo com seus próprios termos.
“Você tem que colocar as minhas medidas reais no meu cartão”, diz a modelo para seu agente, antes de perguntar: ‘Talvez eu pudesse ser uma modelo plus-size?
Sendo respondida logo em seguida por seu agente: “De jeito nenhum, você não é grande o suficiente”, mas a modelo foi rapidamente assumindo o titulo plus-size em Nova York, onde os agentes informaram mais tarde de que ela era muito magra.
“Eu quase não tenho qualquer trabalho, e quando eu tenho, precisava usar almofadas para me fazer parecer maior. De repente, eu era muito magra”, revela Karolin.

As agências européias onde a modelo era agenciada, ainda estavam promovendo-a como uma modelo magra, mas tiveram algumas dificuldades para marcar trabalhos, ao descobrirem que a modelo trabalhava como plus size em Nova York.
“Meus agentes na Europa estavam tendo problemas para marcar trabalhos, porque todos achavam que eu era grande. Meu agente alemão fazia fotos novas toma semana, mas muitos clientes pensavam que as fotos não eram reais.
O engraçado é que, no dia em que (se tornar uma modelo plus size) aconteceu, eu instantaneamente perdi cerca de 2 kg. A pressão foi embora, e meu comportamento alimentar natural veio de volta”
, revela a modelo, que está de volta aos trabalhos em Nova York, mas, dessa vez com um peso ideal para seu corpo, que a deixa mais feliz e confortável.
“Não me pressionarei mais, tento ir com o fluxo, mantendo minhas prioridades. Atualmente eu prefiro trabalhar com clientes menores… ganhei mais nos últimos três meses como nunca antes.”
“Simplesmente não existe qualquer regra. Não é sobre o quão grande você é, o quão pequeno você é, ou o rótulo que lhe é dado. É sobre como você se comporta. Se você estiver confortável com o seu corpo, você pode vender praticamente qualquer coisa”, diz a modelo.

A entrevista completa pode ser vista no blog da revista I Love You aqui!

Foto: Divulgação

Autor: Tags: ,

terça-feira, 31 de janeiro de 2012 Plus Size | 16:19

Uma agência de modelos para as gordinhas!

Compartilhe: Twitter

Katie Halchishick, uma modelo plus size que emagreceu e depois voltou a ter as medidas de uma plus size, foi contratada para vários trabalhos quando tinha seus quilinhos a mais, com  apenas 17 anos. Quando a modelo começou a perder peso, através de exercícios, ela não conseguia mais trabalhos. “Quando eu tinha uns quilos a mais eu tinha que vestir roupas grandes, e isso funcionava (mantendo os clientes) por um tempo.” Diz Katie (Ela não é a primeira modelo plus size a tentar esse caminho).
Seu agente, logo sugeriu que a modelo perdesse algumas medidas, para que ela pudesse trabalhar na mesma linhagem que as modelos magérrimas desfilam por aí, mas a modelo se sentia muito mal (leia-se com fome) e acabou voltando ao peso de antes.
Agora Katie abriu uma agência voltada para modelos cheinhas, chamada Natural Model Management, uma agência para meninas como ela, que são consideradas um pouco magras para os padrões de uma modelo plus size, mas continuam sendo consideradas plus, frente as modelos que vestem tamanho 36.
“Fornecemos uma alternativa mais atraente para modelos que não querem morrer de fome ou vestirem roupas gigantes. Esperemos que o mercado irá colocar seu dinheiro onde sua boca está e provar que realmente existe uma demanda de meninas saudáveis​​.” Revela Katie.
Será que a moda pega no Brasil?

Foto: Divulgação

Autor: Tags:

quarta-feira, 23 de novembro de 2011 Plus Size | 13:46

Onde estão todos os modelos plus-size do sexo masculino?

Compartilhe: Twitter

Poucos assuntos na moda irritam tanto as pessoas quanto a diversidade. Da corrida para estar em forma e no tamanho certo, a indústria tem constantemente a tarefa de expandir e defender sua estreita visão de beleza. Os homens claramente não tem as mesmas considerações que as mulheres nesse ringue da beleza. E se tivessem, não poderia deixar de me perguntar: Onde estão todos os modelos plus-size do sexo masculino?

Nos últimos 2 a 3 anos, modelos plus-size como Crystal Renn, Marquita Pring, e Lawley Robyn têm conquistado a alta moda, como capas, editoriais, campanhas publicitárias, e desfiles. Mas todos nós temos ignorado a ausência flagrante dos homens plus-size em toda mídia.

“Eu não conheço ninguém que tenha um”, diz Gene Kogan, agente da agência DNA Model Management, sobre modelos plus-size do sexo masculino.

“Eu realmente nunca havia pensado sobre isso até você me perguntar,” revela a agente Lindsey Le Garrac, da Soul Artist Management.

Bom, e você? Ignorar os homens como um público alvo da moda é quase um instinto. A estrela do casamento real não era o príncipe William; e sim Kate Middleton. Nós raramente avaliamos as celebridades do sexo masculino em termos de estilo, pensando: “Oh, eu o amo! Ele tem o melhor gosto em roupas!” Poucos negariam que os homens merecem roupas elegantes e a capacidade de se interessar por elas sem perecer um estranho. Mas homens de todas as formas e tamanhos também não merecem serem vistos elegantemente, no modo de vestir?

Para Greg Chan, booker da divisao masculina da agência Wilhelmina, a questão não é se os homens merecem isso, mas se eles podem mesmo ser de verdade. “Mulheres ‘plus size’ são baseadas no fato de que as curvas podem ser sexy”, declara Greg. “O equivalente de curvas em um homem é um reflexo da barriga de chopp e os famosos pneuzinhos, e isso não é sexy, a menos que seja o Alex Hitch do filme Hitch – Conselheiro amoroso ou até mesmo com o ator Jack Black” (que nem todo mundo acha sexy, de qualquer forma).

Kogan da agência DNA diz que ele e seus colegas não representam modelos plus-size do sexo masculino, porque “não há demanda para isso”, acrescentando que “estamos apenas prestando um serviço, se há uma demanda para isso, vamos prever isso. Nós não somos uma oposição a eles em um nível de princípios. Mas se passássemos a representar esses modelos, eles não iriam ter trabalhos disponíveis no mercado.”

Há um mercado muito, muito pequeno para os grandes modelos, mas não o suficiente para torná-lo uma carreira em tempo integral, para um único homem. As exigências de tamanho para um modelo plus-size, em relação a uma modelo plus-size do sexo feminino, não são tão rigorosamente definidos como suas medidas, mas são geralmente considerados em torno de 190 cm “ou mais alto em uma camisa tamanho GG. (modelos masculinos geralmente usam tamanhos em torno de 185 cm”, com uma cintura de aproximadamente 82 cm, e devem caber em um modelo de tamanho normal para homens, que é médio.) Mas a maioria dos altos e grandes modelos, muitos dos quais são ex-atletas, tem mais massa muscular, bem proporcionalmente distribuído do que flexíveis figuras rechonchudas. Os trabalhos que esses modelos tendem a pegar são alguns anúncios impressos, catálogos, modelo de prova, e alguns raros desfiles de moda, como o último desfile de verão 2012 da marca Cavalera, que colocou em sua passarela modelos plus-sizes.

O trabalho só é disponibilizado por um pequeno número de marcas que oferecem roupas maiores.

Colin McNish, de 51 anos, é um modelo plus-size, que agora oferece proteção pessoal para celebridades (ele se recusou a nomear quem). Ele se orgulha de ser bem-vestido e interessado ​​em moda, porem mais frequentemente do que nunca, ele não consegue encontrar roupas que caibam em seus 2,07 metros de altura em um corpo com 129 kg.”Você anda em lojas, você quer comprar, e três GGs parece um GG”, lamenta. “Eles não têm modelagem para homens, na verdade eles têm modelagens para meninos. E eles dizem que é roupa masculina. Não, isso é roupa de meninos.”

Gwen DeVoe, o criador do full-figured Fashion Week, em Nova York, e modelo plus-size, pensa que uma indústria da moda para homens de tamanho GG tem uma chance. Mas nesse exato momento, “não há nada para ser trabalhado”, diz ele. “Alguém precisa criar a indústria.”.

Para que isso aconteça, todos os tipos de homens teriam de articular um interesse em moda. “Número um, precisamos de caras grandes e altos para ter uma voz mais alta, e isso é o que fizemos com modelos plus-size do sexo feminino”, diz Gwen. “Assim como as mulheres, os homens querem ver como as roupas irão cair em corpos semelhantes aos seus”.

Exigentes compradores do sexo masculino, assim como as mulheres, desejam uma pitada de realismo em imagens de moda de tempos em tempos. “Todos estão olhando para encontrar alguém que o represente de uma forma ou outra”, diz o modelo plus size Jermain Hollman. “Eu gostaria de ver mais os modelos de portes mais esportivos no futuro.” Com 1′96 de altura e  104 kg, Hollman foi selecionado por agentes de modelo para alguns trabalhos, mas nunca fez parte do casting de uma agência. Ele gostaria de trabalhar como modelo em tempo integral, e está sempre à procura de uma representação, mas pensa que a maioria dos modelos plus-size podem fazer do trabalho uma “carreira decente.”

Foto 1: Fabio Lage
Foto 2: Fantastic Man Magazine

Autor: Tags:

quinta-feira, 7 de julho de 2011 Plus Size | 07:34

Plus size mania!

Compartilhe: Twitter

A gência de modelos inglesa Models 1 uniu forças com a agência de modelos plus size Excel para formar uma nova divisão, a Excel-Models 1. A agência foi encontrada depois de uma pesquisa sobre a área voltada para modelos GG e descobriu que há uma lacuna no mercado para modelos que trabalham na alta moda, daí veio a nova parceria.
“É um momento emocionante para nós”, revela um porta-voz da agência Models 1. “Estamos trabalhando na construção de um casting surpreendente de meninas curvilíneas.”
Muitas modelos plus size vem desfilando para estilistas como Jean Paul Gaultier e Mark Fast, assim como estampando importantes publicações como a edição totalmente voltada as modelos GG da Vogue Itália e da V Magazine.
No Brasil a agência Ford Models tem um departamento especial para as modelos plus size, chamada de Ford + com um casting incrível, como as modelos brasileiras Fernanda Machado, Luana KriegerBruna Gonçales, dentre outras.
A agência também trabalha com modelos internacionais como a top top Crystal Renn, que ganhou fama com suas generosas curvas após lutar contra distúrbios alimentares, tentando se encaixar no padrão imposto no mundo da moda. Também no casting da Ford + está a top Tara Lynn, que foi capa da Elle francesa e recentemente da Vogue Itália.

Foto: Terry Richardson
para V Magazine

Autor: Tags:

quinta-feira, 16 de junho de 2011 Plus Size | 11:31

A vez das modelos GG

Compartilhe: Twitter

[barra-semana-de-moda]

A estação do ano mais esperada pelas brasileiras promete ser repleta de cores vivas e tecidos leves. No clima da estação, a organização do “Fashion Weekend Plus Size”, evento de moda de grifes que atendem ao tamanho GG, realizou ensaio fotográfico com seis tops plus size destacando as cores que prometem ser hits do verão 2012.
Inspirado no Moulage – técnica que consiste em moldar os tecidos diretamente no corpo da modelo -, o ensaio fotográfico reuniu seis modelos GG que desfilarão no próximo “Fashion Weekend Plus Size”. Essas mulheres, com idades entre 17 e 26 anos, representam a diversidade de corpos, belezas e perfis que compõem o casting de modelos do maior evento de moda GG do Brasil: “Queremos mostrar que o plus size não é somente a modelo gordinha, mas todas que não se encaixam no padrão imposto pela moda contemporânea”, explica a diretora do evento, Renata Poskus Vaz.
Os tecidos usados para a produção do ensaio fotográfico foram cedidos pela Rosset® Têxtil, considerado o maior grupo têxtil da América Latina, com cores e estampas que são destaques principalmente na moda praia e fitness.
Conheça o perfil das modelos que participaram do ensaio (pela ordem da foto, da esquerda para a direita):
Mayara Russi, 22 anos – Conhecida como a “Ana Paula Arósio GG”, Mayara é uma das modelos plus size mais requisitadas no Brasil. Já estrelou diversos catálogos, campanhas e é garota-propaganda de uma das mais tradicionais grifes GG do mercado brasileiro. Mayara trabalha como modelo há sete anos, mede 1,70m e usa manequim 52. “Espero que o universo da moda plus size continue crescendo e traga muitas oportunidades de trabalho”, declara Mayara.
Alessandra Linder, 26 anos – Nascida em Sumaré (SP), a modelo realiza trabalhos na capital e no interior paulista. Iniciou a carreira graças à indicação de um amigo a uma empresa que precisava de um belo rosto plus size. No começo da carreira, Alessandra realizava somente um trabalho por mês. Hoje em dia faz, no mínimo, dois por semana e consegue trabalhar como modelo full time. “É muito bacana ver o crescimento do mercado. Sou muito feliz com o meu trabalho, pois hoje trabalho em algo que, até então, achei que nunca teria chance: ser modelo”, explica Alessandra.
Rita Carreira, 17 anos – Com 1,85m distribuídos em 79kg, essa paulistana iniciou a carreira de modelo plus size aos 16 anos e foi uma das mais requisitadas na terceira edição do “Fashion Weekend Plus Size” graças a sua beleza exótica e desenvoltura na catwalk. Mesmo assim, Rita ainda não estrelou nenhuma campanha, pois é considerada magra para os catálogos plus size e gorda nas seleções de modelos magras. “Me sinto bem com as modelos GG, pois entre elas não há diferenças nem preconceitos”, conta Rita. A jovem está no terceiro ano do Ensino Médio e, além de modelo, é dançarina e cover da cantora Beyoncé.
Bruna Gonçales, 22 anos – Nascida em Londrina, a judoca mora em São Paulo há seis meses e iniciou a carreira de modelo plus size através da Ford Models. Com 1,81m, Bruna sempre foi pressionada a emagrecer para tentar a carreira de modelo tradicional. Porém, devido a sua estrutura óssea – usa manequim 46 – jamais chegaria a usar um manequim 38. “Estou no começo da carreira. Sei que o mercado é pequeno, mas acredito no movimento plus size”, afirma Bruna.
Nathália Contier, 22 anos – Paulistana, usa manequim 48 e começou a trabalhar como modelo plus size em Cianorte (PR), quatro anos atrás. Costuma participar de editoriais de moda em revistas e catálogos. Concilia a carreira de modelo com a de designer de produto. “Ser modelo plus size é se aceitar, independente do número da calça que você veste”, declara Nathália, que desfilará no “Fashion Weekend Plus Size” pela terceira vez.
Bruna Oliveira, 18 anos – A jovem de Americana (SP) é a queridinha das grifes plus size da região e já estrelou diversos catálogos. Desfilou na segunda e terceira edição do “Fashion Weekend Plus Size” e espera ver a carreira prosperar cada vez mais: “Espero realizar muitos catálogos em outros estados também”, conta a jovem que veste manequim 46.

Foto: Divulgação/Hilton Costa

Autor: Tags: